segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Comemoração do 120º aniversário da morte de Fernando Pessoa

30 de Novembro de 2008 - 120 anos sobre a Morte de Fernando PessoaLeitura a várias vozes do poema Liberdade

Vozes dos alunos do 11º PCC

Vozes dos alunos do 11º PE



Liberdade


Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca...
...
Reflexão
Tal como Fernando Pessoa, através deste poema, nos deixa uma abordagem ao tema Liberdade,usa a caixa de comentários, e diz-nos o que é para ti Liberdade.

2 comentários:

Fábio Rodrigues disse...

liberdade consiste em manter o nosso bem estar de forma a tomarmos atitudes que nao vao contra a princípios e sem cumprir regras

bruno pereira n4 disse...

Liberdade para mim significa poder fazer o que quiser, como poder expressar o que quiser, ir para onde quiser....